coinoculação soja

Share

Como a coinoculação contribui para produtividade na lavoura de soja

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

A coinoculação consiste em adicionar mais de um microrganismo no tratamento das sementes que vão ser semeadas na safra.

A coinoculação proporciona vários benefícios na sua lavoura. Você já utiliza dessa prática na sua fazenda?

Dentre os benefícios destacam, aumento da área radicular, o que proporciona maior aproveitamento dos fertilizantes e favorece a planta em situações de estresse hídrico. Além do incremento da produtividade pela maior capacidade de absorção de água e nutrientes pelas raízes.

E quanto mais nutriente absorvido, maior será o vigor das plantas e o equilíbrio nutricional, devido o melhor aproveitamento dos nutrientes dos fertilizantes.

Sem falar da nodulação mais abundante e precoce, o que contribui com o aumento da fixação biológica do nitrogênio.

No entanto, a coinoculação deve ser vista como um fator aditivo na sua lavoura. Que pode ser influenciada pela irrigação ou precipitação, tipo de solo, cultivo subsequente e cultura antecessora.

ads

Vamos ver como a coinoculação é a tecnologia altamente rentável para você?

Coinoculação na cultura da soja

Combina com a prática bem conhecida por vocês: a inoculação das sementes de soja com bactérias fixadoras de nitrogênio, conhecidas como rizóbios. A bactéria Azospirillum promove maior nodulação e assim contribui para maior fixação biológica de nitrogênio.

Dessa forma, reduz a utilização de fertilizantes químicos, principalmente os nitrogenados, logo diminui os seus gastos com insumos.

Além dos benefícios adicionais pela coinoculação com Azospirillum que incluem melhor estado nutricional das plantas e maior tolerância a estresses abióticos, como a seca. Vale ressaltar os incrementos no rendimento dos grãos, em relação à inoculação.

coinoculação - lavoura de soja

Coinoculação em sementes de soja

A técnica de coinoculação consiste na inoculação da Bradyrhizobium nas sementes de soja e a coinoculação de Azospirillum.

A bactéria Bradyrhizobium é capaz de absorver o nitrogênio presente no ar e o transformar em nitrogênio absorvível para as raízes do seu cultivo.

Já a Azospirillum aumenta o crescimento das plantas, devido a vários fatores, como a capacidade de deixar disponível o fosfato para as raízes. De modo que aumenta a concentração de fósforo no solo.

Ao inocular as sementes com essas duas bactérias, o termo inocular muda para coinoculação, e isso apresenta os seguintes objetivos:

  • Fornecer nitrogênio para o seu cultivo;
  • Melhorar o desenvolvimento da soja;
  • Contribuir para o equilíbrio nutricional da lavoura;
  • Tornar maior a sua produtividade.

O maior benefício da coinoculação é a maior nodulação e, dessa forma, maior contribuição da fixação biológica do nitrogênio.

Fonte:Cotrisoja

Qual inoculante utilizar?

Os inoculantes encontrados nos mercados são sólidos ou líquidos. Ambos inoculantes são utilizados nas sementes, mas os líquidos também são aplicados no sulco de plantio.

Ainda mais, se encontra a sua disposição fórmulas de inoculante que já vem com a mistura de Bradyrhizobium com o Azospirillum. O que garante maior rapidez e eficiência no processo de coinoculação.

>>> DOWNLOAD GRATUITO: PLANILHA PARA GESTÃO DE INSUMOS AGRÍCOLAS <<<

Como usar a coinoculação na sua lavoura de soja?

A inoculação em lavouras com plantios frequentes de soja precisa respeitar a frequência anual de aplicação. Ainda assim, os inoculantes são misturados as sementes de soja ou aplicados no sulco de plantio.

Além disso, se você optar por fazer a mistura nas sementes, é importante que essa mistura seja feita na sombra. O processo pode ser realizado em tambores rotativos ou betoneiras. E o próximo passo, é deixar as sementes secarem na sombra por 30 minutos.

No entanto, as recomendações dos fabricantes devem ser seguidas, para que no final do processo toda a semente esteja coberta pelo inoculante.

Se você optar para o inoculante ser aplicado no sulco de plantio, a inoculação deve ser realizada com doses maiores e misturado a água. De acordo, com as recomendações do fabricante.

Boas práticas de coinoculação

As bactérias utilizadas no processo de coinoculação precisam estar vivas, logo deve se realizar boas práticas. Principalmente na armazenagem e transporte dos inoculantes.

Algumas boas práticas merecem destaques, entre elas:

  1. Assegurar que o inoculante não foi exposto ao sol e a temperaturas acima de 30ºC;
  2. Armazenar e transportar os produtos de acordo com as orientações do fabricante;
  3. O inoculante deve possuir registro para a cultura no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, seja de Bradyrhizobium e Azospirillum. Além de atentar para o prazo de validade do inoculante;
  4. Antes de abastecer a semeadora com inoculante turfoso, é necessário, utilizar solução açucarada 300 mL por 50kg de sementes. Isso, para proporcionar boa aderência do inoculante turfoso a semente, e você deve deixar secar a sombra;
  5. Realizar a aplicação na dose recomendada conforme a modalidade de uso, exibido no rótulo do produto;
  6. Conferir o prazo de validade do inoculante;
  7. Ao utilizar tratamento de sementes, deve aplicar primeiro o tratamento de sementes e depois fazer a inoculação. Ou se preferir, realizar a inoculação no sulco da semeadura;
  8. No caso da soja, aplicar Cobalto e Molibdênio de preferência via foliar em V3-V5, ou seja quando o terceiro nó é visível e a segunda folha trifoliolada está completamente desenvolvida até quando a planta apresenta o quinto nó visível e a quarta folha trifoliolada completamente desenvolvida;
  9. Semear em solos úmidos para favorecer a sobrevivência das bactérias;
  10. A inoculação realizada bem antes da semeadura, precisa ser armazenada sob baixas temperaturas, de preferência menores a 20ºC até o momento da semeadura;
  11. Fazer a semeadura no mesmo dia da coinoculação.

Vantagens da coinoculação da soja

As vantagens da coinoculação em sementes de soja com Bradyrhizobium e Azospirillum são muitas, mas destacamos algumas:

  • Ambientalmente seguro;
  • Diminui custos com adubos nitrogenados;
  • Procedimento de baixo custo e alto retorno;
  • Os cultivos se desenvolvem mais;
  • Produtividade maior.

Incrementos produtivos na cultura da soja

Inoculação realizada anualmente na soja com Bradyrhizobium promoveu ganhos de 8,4%. Já a inoculação realizada anualmente com Bradyrhizobium mais Azospirillum no sulco aumentou o rendimento em 16,1%.

Além desses dados, temos que a produtividade da soja coinoculada com Bradyrhizobium e Azospirillum foi de 4.318 kg/ha. Sendo que a soja inoculada somente com Bradyrhizobium alcançou produtividade de 4.091 kg/ha. Esses valores são bem superiores a produtividade nacional, que foi de 3.517 kg/ha na safra de 2020.

Do mesmo modo, os dados de nodulação são de 16 nódulos para as plantas coinoculadas, 13 nódulos para plantas inoculadas e 12 nódulos para plantas sem inoculantes.

Em outras palavras, a inoculação proporciona aumento de 1,8 saca/ha, enquanto que a coinoculação aumenta 5,6 sacas/ha. Ao considerar o valor da saca de soja a R$ 170,58 e o custo da dose do inoculante à base de Bradyrhizobium mais Azospirillum a R$ 16,00/ha, o lucro da coinoculação é de R$ 939,00/ha.

O que pode influenciar os seus resultados?

Muitos fatores podem prejudicar o resultado da soja mesmo que ela já tenha passado pelo processo de coinoculação. Como adubação desequilibrada, falta de manejo do solo e o não controle de doenças, pragas e plantas daninhas.

Nesse sentido, é importante também que a semente seja de qualidade, a cultivar correta para a sua região e que seja semeada na época certa. Além das condições climáticas favoráveis, pois são fatores indispensáveis para o sucesso produtivo dos grãos.

Conclusão

Vimos que a coinoculação é a técnica que utiliza duas bactérias no tratamento de sementes, sendo elas Bradyrhizobium e Azospirillum.

Dessa forma, a sua lavoura desenvolve raízes em associação com essas bactérias. E assim elas capturam o nitrogênio presente no ar, e fornecem para seu cultivo. Além de contribuir melhor com o desenvolvimento, o que resulta em maiores produtividades.

Porém vimos que, para não perder a eficiência da coinoculação é preciso seguir as recomendações do fabricante.

Você vai coinocular as sementes de soja para próxima safra?


Publicado por:
Somos o software de gestão agrícola que vai revolucionar a forma como você administra a sua fazenda.
Share

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *