Plantio direto: aprenda tudo sobre a técnica

Share

Plantio direto: aprenda tudo sobre a técnica

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

O plantio direto representa 19% dos sistemas de preparo do solo adotados pelos agricultores no Brasil. Conheça essa técnica que promete aumentar a produtividade das culturas.

O preparo do solo é considerado uma das etapas mais importantes da atividade agrícola. Sendo assim, conhecer os diferentes tipos de sistemas de plantio é fundamental para obter sucesso na lavoura.

Neste artigo vamos falar sobre o plantio direto, uma forma de manejo do solo que envolve técnicas recomendadas para aumentar a produtividade, conservando ou melhorando continuamente o ambiente de cultivo.

Quer saber como ele funciona e seus benefícios?

Continue a leitura e aprenda tudo sobre essa técnica.

Confira a seguir!

O que é o sistema de plantio direto?

Cultivo de milho em plantio direto

Cultivo de milho em Plantio Direto. KURTZ, Paulo, Embrapa 2013

Em síntese, o sistema de plantio direto é uma técnica de cultivo conservacionista, uma vez que é efetuado sem a utilização das etapas do preparo convencional da aração e da gradagem.

Nesse tipo de sistema, é necessário manter o solo sempre coberto por plantas em desenvolvimento e por resíduos vegetais. Isso porque essa cobertura exerce a função de proteger o solo do impacto direto das gotas de chuva, do escorrimento superficial e das erosões hídrica e eólica.

Com base nisso, o plantio direto pode ser considerado uma modalidade do cultivo mínimo, visto que o preparo do solo limita-se ao sulco de semeadura, procedendo-se à semeadura, à adubação e, eventualmente, à aplicação de herbicidas em uma única operação.

Quais são as técnicas utilizadas no sistema de plantio direto?

Na prática, o plantio direto é composto por três técnicas. Entenda como funciona cada uma delas:

Princípios do sistema de plantio direto
Fonte: Febrapdp

Ausência ou mínimo revolvimento do solo

O plantio direto consiste em basicamente não remexer ou mexer minimamente no solo. Desse modo, o indicado por agrônomos é o revolvimento do solo apenas na linha de semeadura, onde são depositadas as sementes.

Cobertura permanente do solo (Palhada)

A princípio, a palhada pode ser definida como a matéria orgânica formada pelos restos da planta colhida.

No plantio direto, a máquina colhedora retira a planta da terra e separa os grãos. Em seguida, os galhos, folhas e raízes são triturados e pulverizados de volta ao solo. Todo o processo ocorre simultaneamente.

Rotação de culturas

A rotação de cultura é outra técnica utilizada no sistema de plantio direto. Em resumo, ela se baseia na alternância planejada de espécies em uma mesma área de cultivo. Logo, há um período mínimo sem o cultivo da mesma espécie.

O intuito é reduzir os impactos ambientais provocados pela monocultura, melhorando as condições físico-químicas e biológicas dosolono longo prazo.

Além disso, a rotação de culturas contribui para a redução da incidência de doenças, plantas daninhas epragas (favorecendo a quebra do ciclo de vida delas).

>>> DOWNLOAD GRATUITO: PLANILHA PARA GESTÃO DE INSUMOS AGRÍCOLAS <<<

Como surgiu o sistema de plantio direto?

Primeiramente, o sistema de plantio direto, também conhecido como plantio na palha começou a ser implementada em 1940 com Edward H. Faulkner. No entanto, só passou a ser adotada no mundo após a 2ª Guerra Mundial.

Já no Brasil, o plantio direto surgiu em 1970 com agricultores paranaenses, que buscavam alternativas para acabar com um assunto recorrente na época: a desertificação do solo.

A promessa dessa técnica era fazer a cobertura do solo para manter seus nutrientes, e foi exatamente isso que aconteceu por conta da palha. Assim, restos de vegetais de outras culturas foram mantidos na terra, o que evitou prejuízos decorrentes de processos danosos, como a erosão.

Diferente do procedimento tradicional, o solo só é manuseado durante o plantio, quando o agricultor abre um sulco com uma semeadora especial e deposita os fertilizantes e as sementes. Depois disso, é dispensável qualquer tipo de manipulação do terreno. Então, o foco passa a ser o controle de pragas, plantas daninhas e doenças.

Quais são os benefícios do plantio direto?

Em suma, dentre os benefícios que o sistema de plantio direto oferece para a lavoura, podemos citar:

  • Evita o impacto direto da gota da chuva;
  • Regula a temperatura do solo;
  • Preserva a umidade do solo;
  • Melhora da estrutura do solo;
  • Minimiza a compactação do solo;
  • Fornece energia para os micro-organismos do solo;
  • Amplia a atividade microbiológica do solo;
  • Reduz a lixiviação aumentando a CTC (Capacidade de Troca de Cátions);
  • Aumenta o teor de N no solo;
  • Ameniza a infestação de plantas daninhas;
  • Eleva a disponibilidade de P no solo;
  • Diminui as taxas de perdas por erosão e da água disponível às plantas.

Quais são as desvantagens do plantio direto?

Embora o sistema de plantio direto apresente algumas vantagens nítidas, é preciso se atentar para algumas desvantagens antes da escolha do método. Confira a seguir:

  • Elevação da umidade que pode prejudicar as culturas em locais de clima úmido ou em solos de pouca permeabilidade;
  • Aumento da concentração de nitrogênio que pode provocar o acamamento da cultura;
  • Enraizamento superficial das plantas;
  • Diminuição da produção caso a infestação de plantas daninhas aumente. Fato que pode ser percebido visto que essas plantas concorrem com a cultura em desenvolvimento, consumindo nutrientes e espaço;
  • Necessidade de investimento em conhecimento e em profissionais especializados na utilização de herbicidas bem como no trato de plantas daninhas, equipamentos, etc.

Como implantar o sistema de plantio direto?

Em primeiro lugar, antes de iniciar a implantação do plantio direto, o produtor rural precisar atender aos seguintes requisitos.

  • Aceitar uma nova forma de manejar o ambiente;
  • Dispor de assistência técnica especializada;
  • Escolher áreas sem problemas de compactação, de erosão ou de plantas daninhas de difícil controle;
  • Ter a sua disposição maquinários específicos e bem regulados (semeadoras e pulverizadores);
  • Ter cultivado espécies vegetais que promovam boa cobertura do solo e produção de palha;
  • Se planejar e programar um esquema bem organizado de rotação de culturas.

Em segundo lugar, logo após se preparar para a nova forma de plantio, é o momento de colocar em prática. Confira o passo a passo.

Implantação do plantio direto

1ª etapa: primeiramente, é preciso eliminar as camadas compactadas do solo, antes de implantar o sistema.

2ª etapa: logo após, é preciso nivelar o terreno com sulcos ou valetas. Nesse momento, a ideia é deixar a área o mais homogênea possível.

3ª etapa: é realizada a correção com base nas necessidades do solo. Então, caso necessário, é importante fazer a aplicação de calcário. Afinal, quanto mais profundo ele for incorporado, melhor.

4ª etapa: logo depois, antes de iniciar o plantio direto, é importante controlar o crescimento de daninhas.

5ª etapa: em seguida, é preciso colher e espalhar os restos de culturas. Aqui, pode usar um picador de palhas.

6ª etapa: depois, herbicidas são pulverizados no solo;

7ª etapa: por fim, é feito o plantio. Para isso, máquinas abrem sulcos e depositam sementes e fertilizantes em quantidades adequadas. Logo após, o sulco é fechado.

Como é possível observar, o plantio direto dispensa etapas de preparo convencional de aração e gradagem. Ademais, o solo sempre estará coberto por restos vegetais de outras culturas, que protegem e nutrem a terra.

Enfim, conseguiu tirar todas as suas dúvidas sobre o sistema de plantio direto? Aproveite e leia nosso artigo sobre lavoura de grãos.

Até a próxima!


Publicado por:
Somos o software de gestão agrícola que vai revolucionar a forma como você administra a sua fazenda.
Share

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *