Saiba quais são os principais fatores que impactam a produtividade rural

Share

Saiba quais são os principais fatores que impactam a produtividade rural

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

A produtividade rural é a somatória de vários fatores que se iniciam antes mesmo da semeadura. Sendo que, ter altas produtividades e colher o produto com qualidade é o desejo de todo produtor.

No entanto, para isso é necessário conhecer o que interfere na produtividade rural e o que pode ser feito para melhorar a cada ano.

Pensando nisso, este artigo traz informações do que influência na produção e como impulsionar para ter maior lucratividade e rentabilidade. Venha conferir!

Fatores que influenciam a produtividade rural

Primeiramente, é importante ressaltar que todos os processos realizados no campo têm como objetivo principal a colheita.

Entretanto, não é apenas colher, mas também aumentar a produtividade rural e aumentar a qualidade do produto final.

Nesse sentido, diversos fatores estão relacionados à produtividade rural e qualidade do produto.

Alguns destes fatores iniciam antes mesmo do plantio, se prolongam por todo o ciclo da cultura, e só terminam após a venda do produto.

Assim, a agricultura gira em torno de planejar, comprar, semear, cuidar, colher, vender, e em cada uma destas etapas visa a quantidade e qualidade do produto colhido.

Ciclo da produção rural.
Fonte: SLCAgrícola

Portanto, conhecer e otimizar os fatores que interferem na produtividade rural, em cada momento do ciclo de produção, é o que te trará os resultados esperados.

Abaixo são listados os principais fatores que devem ser considerados e realizados de modo correto durante o ciclo de produção.

>>> MATERIAL GRATUITO: E-BOOK GUIA COMPLETO PARA GESTÃO AGRÍCOLA <<<

Manejo do solo

Em síntese, o manejo do solo é o conjunto de práticas utilizadas no solo para favorecer a produção agrícola.

Estas práticas incluem correção do solo, adubação, descompactação, evitar erosões, matéria orgânica no solo, entre outras.

Existem diversas técnicas de manejo do solo:

  • Preparo convencional: utiliza arado após a colheita, para preparo do solo;
  • Preparo mínimo: faz revolvimento mínimo do solo entre um cultivo e outro;
  • Plantio direto: faz a semeadura sobre a palhada da cultura anterior.

Independente da técnica utilizada, é fundamental fazer a análise de solo.

Afinal, é pelos dados obtidos na análise de solo que você consegue tomar decisões mais assertivas em relação a necessidade de calagem, gessagem e cálculo de adubação.

O sistema de plantio direto, é uma das práticas atualmente mais recomendadas para manter seu solo com qualidade a longo prazo.

Em resumo, ela é caracterizada por manter a palhada sobre o solo favorece o desenvolvimento dos microrganismos, manutenção de nutrientes e umidade do solo, melhorando a estrutura do seu solo.

Outro ponto importante no manejo é a rotação de culturas, que dentre várias vantagens têm a diminuição da incidência de doenças e pragas, que influencia diretamente a produtividade rural e a lucratividade da lavoura.

Estrutura do solo em diferente sistema de manejo.
Fonte: Integrar

Escolha do cultivar e compra de sementes

Um fator que interfere diretamente na produtividade rural é a escolha do cultivar e a qualidade da semente semeada.

Nesse sentido, para todas as culturas, existem diversos tipos de cultivares, com diferentes características e adaptação climática.

Desse modo, a escolha do cultivar para sua área tem que levar alguns pontos em consideração:

  • Cultivar é recomendado para sua região;
  • Tipo de solo que é recomendado;
  • Resistência à pragas ou doenças que frequentemente aparecem na sua área;
  • Ciclo e porte da planta;
  • Época de plantio ideal de semeadura, entre outras.

Determinar estes pontos é importante antes de escolher o cultivar, ou cultivares que utilizará na sua propriedade.

Ao comprar sementes do cultivar escolhido, saiba que o potencial máximo de produção está na semente.

Ou seja, comprar sementes sem procedência garantida, pode economizar inicialmente, mas ao final da produção te trará prejuízos.

As sementes certificadas apresentam alta qualidade, que tem como garantia os atributos:

  • Genético;
  • Físico;
  • Fisiológico;
  • Sanitários.

Estes atributos garantem alta porcentagem de germinação, emergência, uniformidade de plântulas, livre de patógenos, pureza física, e outros.

A formação do estande adequado está relacionada à qualidade da semente e ao tratamento de semente feito.

Falhas no estande devido à falta de germinação ou morte da plântula interferem na produtividade da lavoura.

Plântulas de soja provenientes de sementes com alta qualidade (A) sementes de baixa qualidade (B).
Fonte: Embrapa

Adubação

Adubação tem que ser realizada visando a necessidade nutricional da cultura que irá produzir e a produtividade esperada.

Logo, para saber a quantidade ideal de fertilizante a ser utilizado, a análise de solo é fundamental.

Assim, pelos resultados obtidos na análise, você consegue calcular o quanto necessita de cada nutriente para buscar a produção esperada.

Além disso, conhecer as épocas de maior necessidade dos principais nutrientes da cultura, faz com que você aplique quando a cultura precisa, apresentando melhor aproveitamento.

O nutriente pode ser disponibilizado para a planta:

  • Tratamento de semente: principalmente alguns micronutrientes podem ser fornecidos no tratamento de semente, como molibdênio, níquel, cobalto.
  • Adubação de semeadura: os principais macronutrientes como nitrogênio, potássio e fósforo, usualmente são fornecidos durante a operação de semeadura.
  • Adubação foliar: vários podem ser os nutrientes fornecidos via foliar, é uma boa opção pois você consegue manejar o nutriente utilizando nas épocas de necessidade da cultura.

Outras práticas, como adubação verde, também auxiliam no fornecimento de nutrientes no solo e consequentemente para as plantas.

E a falta de algum nutriente, mesmo que os demais estejam na quantidade ideal, faz com que ocorra redução na produção, como é representado abaixo pela lei do mínimo.

o, reduz a produção de plântulas.
Fonte: PUC

Então fique atento às necessidades nutricionais da sua lavoura!

Semeadura

A semeadora bem regula irá depositar a sementes no solo corretamente, na profundidade desejada e quantidade de sementes por metro quadrado definidos.

Sementes depositadas mais profundas no solo demoram a emergir, ficando mais suscetíveis aos ataques de patógenos presentes no solo, reduzindo o estande.

Sementes que ficam mais na superfície, além de serem afetadas pelo calor do sol, podem ser perdidas pelo ataque de pássaros e patógenos, o que causa redução do estande e consequente perda de produtividade.

A profundidade ideal de plantio da maioria dos grãos fica entre 3 e 7 cm, variando com tipo de solo e cultura.

Quantidade de sementes por metro, além de ser influenciado pela falta de regulagem, a velocidade no momento de semear também interfere.

A má distribuição das sementes no plantio, causa falha no estande, emergência de duas plântulas no mesmo espaço, o que gera concorrência de plantas em busca de nutrientes ou luz, resultando em menor produção por metro quadrado.

Velocidades de semeadura e distribuição de sementes.
Fonte: Cooperativa Bom Jesus

Manejo de plantas daninhas

O controle das plantas daninhas na área reflete na produtividade rural pela competição que estas causam com a cultura.

Por isso, é importante identificar as plantas daninhas presentes na área, épocas de controle e produtos a serem utilizados.

A maior preocupação dos produtores em relação às plantas daninhas é a resistência a herbicidas.

Fazendo com que além de encarecer o custo de produção a eficiência de controle seja reduzida.

Portanto, utilize produtos adequados, faça rotação dos herbicidas para evitar a resistência das plantas daninhas.

Manejo integrado de pragas (MIP)

O manejo integrado de pragas inicia com acompanhamento contínuo da presença das pragas na área.

Pelo monitoramento, você consegue saber qual o momento ideal de controle de pragas.

No manejo integrado, o objetivo é utilizar práticas que reduzam a população das pragas no nível de equilíbrio, ou seja, que não terá prejuízos à lavoura.

Com o monitoramento correto, fazendo constante e adequadamente as amostragens, é possível manter abaixo do nível de dano econômico as pragas.

Caso constate crescimento da população de pragas, utilize diferentes ferramentas de controle, como por exemplo: produtos químicos e controle biológico.

O uso de agentes biológicos, além de ser uma prática que mantém os inimigos naturais vivos, ao contrário do controle químico, busca um equilíbrio na área.

Estrutura do MIP.
Fonte: Embrapa

Colheita

A mecanização da propriedade, seja como vimos com semeadora, tratores e colheitadeiras, devem estar com a manutenção em dia.

Colheitadeiras mal reguladas podem gerar perdas de produção. Perdas são inevitáveis, em geral 4% das perdas nesta operação são consideradas aceitáveis.

Associado à regulagem, a velocidade de deslocamento da máquina favorece as perdas de produção, o ideal é trabalhar de 4 km/h a 6 km/h.

Agricultura de precisão

A mecanização da propriedade tem ganhado cada vez mais inovações tecnológicas, que reflete em melhor aproveitamento operacional e de utilização de produtos.

Uso de GPS, aplicação em taxa variável, mapas de produtividade, de incidência e danos causados por pragas, entre outras ferramentas, são atualmente utilizadas para redução de custos e aumentos de produtividade.

Com a fazenda toda interligada com a agricultura de precisão, você faz o monitoramento constante até mesmo pelo seu celular.

Agricultura de precisão em todos os locais da fazenda.
Fonte: Fenata

Não basta apenas produzir, é necessário fazer uma boa gestão agrícola, para que a produção traga lucratividade e rentabilidade para você.

O software MyFarm te ajuda a organizar os dados operacionais da sua área, mostrando os resultados de safra, sua agenda financeira, entre outras funcionalidades.

E isto, somado aos fatores para obter uma boa produtividade rural, contribui para você tomar decisões corretas para sua lavoura e seu bolso!

Quer solicitar uma demonstração grátis do software MyFarm, clique aqui!

Conclusão

Enfim, neste artigo você leu sobre os principais fatores que impactam a produtividade rural.

Viu como cada um deles interfere na produção e o que deve ser feito para melhorar a eficiência no campo.

Além disso, viu que existem ferramentas que te auxiliam em todas as fases de produção, te ajudando nas tomadas de decisões necessárias.

Conseguiu tirar suas dúvidas e saber mais sobre produtividade rural? Aproveite e leia nosso artigo sobre aumento de produtividade do milho!

Até mais!


Publicado por:
Somos o software de gestão agrícola que vai revolucionar a forma como você administra a sua fazenda.
Share

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *