startup agronegócio

Share

Entenda como startups levam avanço para o agronegócio

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

Um dos grandes motores para as novidades dentro do mercado é, justamente, a iniciativa de novas empresas. Entender como essa dinâmica acontece dentro das indústrias acaba sendo mais claro. Mas é possível encontrar essa influência no agronegócio.

Os avanços tecnológicos são, sem dúvida nenhuma, um dos grandes fomentadores de inovações. Seja do ponto de vista das automações ou, até mesmo, sob a perspectiva digital.

Via de regra, tudo acaba se submetendo a esses tipos de mudanças paradigmáticas e, portanto, acaba fomentando novas dinâmicas.

O período das principais revoluções industriais pode exemplificar bem como essas mudanças impactam no dia a dia.

Sob uma perspectiva de produção manufaturada, não havia espaço para produção excedente que pudesse incorrer em uma venda acentuada dentro do mercado.

A produção de insumos para plantações domésticas, por exemplo, eram feitas de forma artesanal e sem muito recurso tecnológico.

No entanto, com os avanços fabris, o que, antes, poderia representar um plantio demorado para a produção de um gramado passou a ser possível de ser estabelecido a partir de grama sintética para jardim residencial.

Com o passar dos anos, é claro, esse tipo de avanço foi ganhando novos desdobramentos e, consequentemente, trazendo novas tecnologias de produção à luz das relações empresariais.

Esse fomento a novas práticas acabou incidindo nas perspectivas digitais, que, quanto mais o tempo passa, mais elas se estabelecem no cotidiano das pessoas.

O consumo, diante disso, também acaba sofrendo uma série de influências que vão fundamentar novos hábitos por parte das marcas.

A compra de uma recarga de extintor co2, por exemplo, já não precisa mais contar com o deslocamento do contratante.

Isso, em grande medida, é um elemento revolucionário dentro das dinâmicas comerciais e de consumo.

Contudo, engana-se quem pensa que isso se realiza apenas dentro das dinâmicas urbanas de produção.

Na verdade, há um aspecto da revolução industrial que se aplica de forma específica ao campo: a revolução verde.

Essa perspectiva permeia toda a dinâmica de produção agrária entre os anos de 1960 e 1970 trazendo algumas inovações.

Na verdade, esse momento histórico representa uma ruptura com um modelo mais antigo de produção agrária.

Adota-se, portanto, dentro do campo, uma perspectiva que tem muito mais a ver com a ideia de uma indústria.

Partindo de maquinários tecnológicos, essas produções acabaram ficando suscetíveis às suas dinâmicas de produção.

Isso, em grande medida, aumentou a capacidade do campo, mas, em outra, acabou incidindo em um desemprego em massa.

Uma vez que algumas máquinas passaram a exercer as tarefas de camponeses e, consequentemente, eles tiveram que abandonar os interiores em busca de oportunidades na cidade grande.

Essa movimentação ficou conhecida como êxodo rural e teve consequências bastante significativas na formulação urbana do Brasil.

Como em uma perspectiva industrial onde a produção de brise fachada comercialpassou a ser feita por máquinas, colher grãos de soja, também, incidiu nesse mesmo tipo de dinâmica.

Esse panorama histórico é importante para que se esclareça que as inovações não são características apenas do tempo presente.

Na verdade, inovar está no cerne das relações humanas e, por isso mesmo, precisa ser analisado sob todas as instâncias.

O que é startup?

Como em todo momento histórico dentro da perspectiva de produção, há algumas categorias que acabam marcando o período.

Nos casos mais antigos, a produção de energia termoelétrica foi uma delas. Contudo, o tempo não parou e novas questões foram surgindo.

Diante disso, o conceito de startup aparece como uma forma de trazer algumas características importantes para a contemporaneidade.

Essa denominação é dada para aquelas empresas que estão iniciando um percurso dentro de um mercado de forma a impactar na sociedade.

Por seu futuro incerto, as startups acabam adotando algumas posturas fundamentais de inovação dentro de seu segmento.

Por isso, elas acabam incidindo em um caráter escalável e de crescimento que vai norteando a sua iniciativa no mercado.

Para esclarecer um pouco mais o seu caráter, torna-se imprescindível que algumas denominações sejam feitas. Por essa razão, suas características principais são:

  • Inovação;
  • Dinamicidade;
  • Escalabilidade;
  • Gestão responsável.

Há uma série de outras características que uma startup pode ter dentro de um mercado. Contudo, é importante focar nas citadas até aqui.

O primeiro ponto diz respeito à inovação que ela pode oferecer dentro de uma dinâmica de produção nova.

Uma marca que, em outro momento, poderia ser considerada comum por atuar em um mercado amplo como o de uma empresa de portão automático, ao adotar certas medidas inovadoras, já pode começar a ser reconhecida como startup.

Esse aspecto tem uma incidência grande dentro da dinamicidade que essa perspectiva trará para o ambiente empresarial, uma vez que para crescer de forma ampla, é preciso que algumas medidas sejam tomadas.

Além disso, essa escalabilidade é fundamental, uma vez que uma startup que não consegue crescer, via de regra, acaba desaparecendo.

Por fim, é preciso que uma gestão responsável seja implementada, uma vez que há um alto risco envolvido nessa nova empreitada.

Até mesmo em empresas mais consolidadas como as que fabricam anel de vedação industrialprecisam adotar esse tipo de perspectiva.

Então, se a ideia for iniciar uma nova dinâmica de mercado, isso acaba se tornando ainda mais imperativo.

Startup e o agronegócio

Como dito anteriormente, toda evolução que acontece sob o ponto de vista urbano acaba sendo adaptada para questões rurais.

Essa incidência ocorre com a revolução industrial e sua perspectiva verde e tem ganhado alguns casos agora.

Seu relacionamento tem tido cada vez mais aprofundamento diante de algumas novas ferramentas que têm surgido para facilitar a produção do campo.

Essa dinamicidade, em grande medida, tem resultado em bons frutos, sobretudo do ponto de vista da gestão de terras.

Afinal de contas, quanto mais hectares tiver uma fazenda, mais difícil acaba se tornando gerí-la.

Entretanto, há uma diversidade de possibilidades que as startups têm explorado cada vez mais.

Inclusive, dentro da perspectiva urbana, é possível fazer essa conexão com aspecto do campo.

Uma startup de transporte que faz transporte de areia para obras pode estender a sua funcionalidade para distribuição de alimentos do campo para a cidade.

Há, nesse sentido, uma série de possibilidades que precisam ser consideradas na hora de se pensar nessa relação.

O que é uma AgTech?

Diante de tudo que foi dito, o conceito de AgTech acaba surgindo na mente ao fazer essa relação desses elementos.

Essa é uma abreviação que vem do inglês agricultural technology e tem como objetivo entender quais são esses elementos.

Falar de tecnologia no campo é, via de regra, incidir na história da humanidade e toda a sua perspectiva para produzir mais e melhor.

Contudo, esse conceito tem sido cada vez mais aplicado para as startups que tem como objetivo facilitar o trabalho no campo.

Assim como um consumidor tem a facilidade de comprar uma bateria automotiva barata pesquisando em um mecanismo de busca, um camponês conseguirá, por exemplo, gerir sua plantação com a mesma praticidade.

Reinvenção do campo

Toda a mudança de paradigma pode representar, em grande medida, uma reinvenção de uma área.

Com a perspectiva das AgTech isso tem sido cada vez mais difundido no mundo da produção agrária.

Apontar para algumas dessas modificações pode ajudar a ilustrar o quão importante são essas startups para o campo.

Sustentabilidade

Essas empresas parceiras do campo podem fornecer algumas tecnologias para identificar alguns gastos desnecessários.

Saber, por exemplo, quanta água é necessária para fazer o cultivo de soja pode, de forma bastante intensa, evitar gastos exagerados.

Nesse sentido, uma série de medidas podem ser adotadas para salvar o planeta sob a perspectiva da AgTech.

Suprimento de demanda

O crescimento populacional do mundo é uma coisa que pode preocupar quando o assunto é suprimento de alimentos.

Na verdade, essa é uma perspectiva antiga. Com as tecnologias de produção no campo, não há mais espaço para esse tipo de temor.

Nesse sentido, essas startups conseguem facilitar ainda mais a dinamicidade dessa produção para garantir um suprimento geral.

Gestão de produção

Outro aspecto decisivo quando o assunto é produção agrícola é, justamente, a gestão de grandes espaços de terra.

Partindo de aplicativos de mapeamento e, também, de condições climáticas, é possível resolver essa gestão de forma bastante satisfatória.

Essa perspectiva, tem a ver com aplicar as inovações de, por exemplo, uma fábrica de agentes para impermeabilização de telhado de amianto em um contexto agrícola.

Considerações finais

Historicamente, a humanidade sempre buscou novos recursos para implementar melhorias em sua produção agrícola.

Com o passar do tempo, essas dinâmicas foram se intensificando até que chegou a era da AgTech como horizonte estratégico.

Essas startups, diferentes do maquinários das revoluções verdes, têm como objetivo trazer uma série de facilidade de gestão para o dia a dia agrário.

Tê-las em mente pode significar uma modificação radical na produção e, em grande medida, trazer novos paradigmas para esse meio.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blogGuia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.


Publicado por:
Somos o software de gestão agrícola que vai revolucionar a forma como você administra a sua fazenda.
Share

Quais os danos do Dicamba na soja?