semeadura-do-milho

Share

Semeadura do milho: dicas para aumentar a sua produção!

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

O milho é uma importante cultura no Brasil e no mundo, podendo ser semeado no país em três safras no ano agrícola.

Independente da época de produção, o planejamento é chave de sucesso para qualquer cultura, em todas as regiões e safras.

A semeadura é o “pontapé inicial” da produção, tendo grande influência durante o cultivo de milho, necessitando de um bom planejamento antes de ser iniciada essa operação.

Pensando nisso, veja neste artigo dicas para você realizar uma boa semeadura, e como essa operação afeta sua produção!

O que saber antes da semeadura do milho?

Antes de depositar a semente no solo durante a operação de semeadura, muitas decisões devem ser tomadas.

O planejamento é essencial neste momento, de maneira geral, veja algumas dicas para fazer corretamente esse processo no ciclo de produção na cultura do milho.

ads

1a Dica – Escolha do híbrido

Escolher corretamente o híbrido de milho que será semeado é o primeiro passo.

A semente de cada híbrido leva para o campo o potencial produtivo, que com condições climáticas adequadas e manejo correto, atinge altas produtividades.

Assim, cada híbrido tem recomendações de clima e manejo que mais se adequa ao seu cultivo.

O posicionamento adequado de cada híbrido deve ser respeitado, pois a produtividade esperada está relacionada às condições de luz solar, chuvas, umidade relativa do ar e temperatura média.

semeadura do milho
Exemplo de posicionamento técnico do híbrido P3754PWU.
Fonte: Pioneer

2a Dica – Cálculo de semeadura

A população de plantas e espaçamento a serem utilizados são informações necessárias para calcular corretamente a quantidade de sementes que serão utilizadas por hectare.

Estas informações são encontradas juntamente com o posicionamento técnico, você pode perceber, na figura acima, que dependendo do local de semeadura, a população de plantas muda.

Em geral, para a cultura do milho o recomendado são de 30.000 a 90.000 plantas por hectare.

O espaçamento mais utilizado é 45 a 50 cm, pois existem cultivares que se adequam melhor a densidades de semeadura maiores, com isso maior quantidade de plantas por hectare.

Entretanto, há lavouras de milho que são semeadas de 75 a 90 cm, devido a arquitetura da planta do híbrido.

Tipo de espaçamento mais utilizado na cultura do milho.
Fonte: Embrapa

Desse modo, saber qual a densidade de semeadura correta dependerá da escolha do híbrido.

A comercialização de sementes pode ser feita por quilo ou por quantidade de sementes por embalagem.

Para te ajudar a calcular os dois modos, utilizando as informações do híbrido a seguir, veja os exemplos a seguir.

  • Exemplo em Kg/ha
  • Exemplo em quantidade de sementes/ha

Sabendo a quantidade de sementes por metro, basta regular a semeadora.

>>> DOWNLOAD GRATUITO: PLANILHA PARA GESTÃO DE INSUMOS AGRÍCOLAS <<<

3a Dica – Tratamento de semente

Como você viu, é a semente que leva para o campo as características do híbrido escolhido.

Desse modo, a qualidade da semente deve ser alta, apresentando elevada germinação e vigor.

Obtendo sementes com estas características, é importante protegê-las dos ataques de pragas e doenças que podem prejudicar o estabelecimento das plântulas em campo.

Assim entra o papel do tratamento de sementes, que além de utilizar fungicidas e inseticidas, podem ser utilizados micronutrientes einoculação da bactéria Azospirillum brasiliense.

Exemplo de sequência de tratamento de sementes.
Fonte: CropLife

Então não deixe de tratar sua semente de milho antes de realizar a semeadura!

4a Dica – Condições ideais de semeadura

Outro cuidado que se deve ter são as condições climáticas antes, durante e após a semeadura do milho.

Às vezes ocorre atraso na colheita da cultura antecessora ao milho, com isso a semeadura fica tardia, ou se quer semear o mais rápido possível para que depois possa semear outra cultura.

Assim, as vezes as condições do solo e clima não estão adequadas. Semear com solo seco, ou seja, no pó, pode ser um grande risco.

É necessário saber o histórico climático da região para a época que deseja realizar a semeadura.

A temperatura ideal durante o ciclo da cultura do milho varia de 24ºC e 30ºC, assim seca e geada prejudica o desempenho das plantas, reduzindo sua produção.

Busque semear o milho quando o solo tiver água suficiente para emergência das plantas.

Além disso, antes da semeadura, verifique se o ciclo da cultura irá ocorrer na época mais adequada de chuva e temperatura!

5a Dica – Adubação de base

A fertilidade do solo está diretamente relacionada com o tipo e quantidade de adubo que será necessário para a semeadura.

Para saber a qualidade nutricional do seu solo é necessário fazer a análise química.

Com ela você tem informações se é preciso fazer correção com solo com calagem e gessagem.

Pelos dados obtidos você consegue calcular corretamente a quantidade de adubo a ser utilizado para cultura do milho.

Se quiser saber mais sobre adubação, clique aqui!

Exemplo de análise do solo.
Fonte: Incaper

Cuidados durante a operação de semeadura

Visto algumas dicas para antes da semeadura, veja os cuidados que se deve ter durante a operação, pois depois de realizada não tem como desfazer.

  • Fazer a regulagem da semeadora;
  • Utilizar discos adequados ao tamanho das sementes;
  • Verificar se a quantidade de sementes está de acordo com o desejado;
  • Verificar se está caindo corretamente a quantidade de adubo na área;
  • A velocidade da operação deve ser entre 4 km/h a 6 km/h;
  • Regular a profundidade de deposição da semente no solo, ideal para solos argilosos de 3 e 5 cm e arenosos de 5 e 7 cm.

É importante lembrar que sementes depositadas mais profundas demoram a emergir, ficando mais expostas a ataque de pragas e doenças.

E sementes sobre a superfície do solo fica mais exposta às intempéries climáticas e ataque de predadores como os pássaros.

Diferença de profundidade e emergência de sementes.
Fonte: Geagra

Influência da semeadura do milho na produtividade

Para saber se a semeadora está regulada, é necessário andar 10 metros com a máquina em local limpo e verificar se a quantidade de sementes que você deseja por metro está correta.

Exemplo de verificação de regulagem semeadora.
Fonte: Adaptado de Vence Tudo

Verifique se não estão caindo duas sementes no mesmo local, ou ocorrendo falhas de sementes.

É importante observar se as sementes estão caindo corretamente, pois o milho, ao contrário da soja, é uma planta que não ramifica, não compensando as falhas.

Além disso, a ocorrência de duas plantas próximas, competem por espaço, luz e nutrientes, ocorrendo dominância de uma planta em relação a outra, reduzindo a produção.

Falhas, duplas e distribuição adequada de sementes em campo.
Fonte: Adaptado de Embrapa

Assim, a semeadura do milho é uma operação de extrema importância para a cultura e seu rendimento.

Veja no exemplo abaixo o que a falha de uma semente, ou uma planta que é dominada e não produz, reflete na produtividade.

Conclusão

Neste artigo você viu dicas do que é necessário fazer antes de realizar a semeadura do milho.

Viu os cuidados necessários que se deve ter durante a operação de semeadura, e como influenciam na produção.

Você pode acompanhar alguns cálculos, como a quantidade de sementes necessárias para semear um hectare.

Além disso, viu que uma semeadora mal regulada pode causar falhas ou duplas, o que gera perdas de produtividade e de renda para você.

A semeadura é um momento crucial, entretanto, não esqueça que é necessário realizar os manejos adequados de controle de pragas, doenças, plantas daninhas, adubação de cobertura, para ter uma boa produção!

Espero que este artigo tenha fornecido informações úteis para você. Quer saber mais sobre os tipos de grãos de milho? Clique aqui!

Até mais!

programa de pontos do produtor rural - myfarm


Publicado por:
Engenheira Agrônoma pela Universidade Estadual de São Paulo (UNESP),mestre em Sistemas de Produção pela pela mesma instituição. Doutora em Fitotecnia pela Universidade de São Paulo (ESALQ/USP).
Share

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *