Agricultura familiar

Share

Agricultura familiar: saiba qual a importância dessa prática no Brasil

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

A agricultura familiar está associada às formas de cultivo onde a mão de obra é proveniente do núcleo familiar. Por isso, é uma prática realizada em pequenas propriedades que beneficia tanto a família quanto o mercado.

Neste artigo, vamos explicar quais são as principais características da agricultura familiar e destacar sua importância na economia brasileira.

Confira a seguir!

O que é agricultura familiar?

Na prática, a agricultura familiar corresponde a toda forma de cultivo realizada e administrada por pequenos produtores de uma família.

Nesse sentido, a produção de alimentos ocorre em pequenas propriedades de terra e se destina a subsistência do produtor rural e ao mercado interno do país.

Assim, de acordo com a Lei 11.326/2006, que regulamenta esse tipo de atividade, a agricultura familiar é aquela que efetua tarefas no meio rural e atende aos seguintes critérios:

ads
  • Ter uma área de, no máximo, quadro módulos fiscais;
  • Utilizar a mão de obra da própria família na maior parte das atividades;
  • Ter um percentual mínimo de renda originada de suas próprias atividades;
  • Ter as atividades gerenciadas pela própria família.

Quais são as principais características da agricultura familiar?

A princípio, uma das principais características da agricultura familiar está relacionada ao tipo de cultivo.

Diferente das grandes propriedades, que produzem em massa um único gênero alimentar, como soja ou milho destinados à exportação e à alimentação de animais para pecuária, a agricultura familiar está associada à policultura — isto é, plantio de diversos tipos de cultura.

Dessa forma, entre os diferentes tipos de alimentos produzidos, estão: frutas, legumes, verduras, milho, mandioca, feijão, arroz e trigo.

Além disso, por priorizar práticas tradicionais de cultivo, esse modelo de agricultura causa um baixo impacto ambiental. Logo, é uma grande aliada da sustentabilidade e da responsabilidade socioambiental.

Nesse sentido, agricultura familiar também tem como característica a produção de alimentos orgânicos e a preservação ambiental.

Qual é a importância da agricultura familiar para o país?

A agricultura familiar é sinônimo de comida na mesa. Sendo assim, esta prática está vinculada à garantia de alimento para diversas famílias que residem no campo.

No entanto, atualmente, a agricultura familiar deixou de ser uma atividade de subsistência. Sendo assim, esse modelo também contribui para o mercado interno, gerando emprego e fornecendo matéria-prima e produtos para supermercados e fábricas de alimentos.

Brasil

De acordo com dados do Censo Agropecuário de 2017, o crescimento do Brasil depende de forma direta das propriedades que exercem essa atividade. A produção representa:

  • 70% do feijão;
  • 34% do arroz;
  • 87% da mandioca;
  • 46% do milho;
  • 38% do café;
  • 21% do trigo;
  • 60% do leite;
  • 59% do rebanho suíno;
  • 50% das aves;
  • 30% dos bovinos.

Diante desse impacto positivo, a agricultura exercida pelas famílias é responsável por 38% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, segundo a Embrapa.

Além disso, o levantamento do Censo Agropecuário de 2017 aponta que essa prática é responsável pela economia de 90% dos municípios com até 20 mil habitantes. Mais que isso, 40% da população economicamente ativa depende dessa atividade, assim como 70% dos brasileiros que vivem no campo.

Em virtude disso, hoje o Brasil ocupa a 8ª posição entre os países que mais produzem alimentos, considerando somente a agricultura familiar. Enquanto, na produção total, chega à 5ª colocação.

Vale destacar que a concentração desse tipo de produção está localizada em maior parte nas regiões norte, nordeste e em pontos da região sul do país.

Entre esses locais, os estados de Pernambuco, Ceará e Acre possuem a maior concentração de agricultura familiar por área no país, enquanto os estados do Centro-Oeste e São Paulo são os que possuem menor nível de concentração.

Quais são as vantagens da agricultura familiar?

Além de adotar práticas de produção mais sustentáveis, ter um uso mais consciente do solo e preservar o patrimônio genético das culturas, a agricultura familiar oferece uma série de vantagens para o agronegócio. Confira!

Empregos e fonte de renda

A agricultura familiar possibilita a geração de empregos em regiões distantes de centros industrializados. Dessa forma, representa uma alternativa para que os trabalhadores permaneçam no campo.

Isso acontece, principalmente, por ser uma modalidade que não utiliza grande quantidade de maquinários nas atividades agrícolas. Sendo assim, a demanda de mão de obra costuma ser maior, o que favorece a contratação de trabalhadores rurais.

Uso sustentável dos recursos naturais

Em virtude da produção em pequena escala, a agricultura familiar caracteriza-se por adotar práticas ambientais mais sustentáveis. Dessa forma, contribui para a promoção de sistemas produtivos mais eficientes que utilizam mais energia renovável em detrimento da fóssil.

Ademais, a agricultura familiar respeita o meio ambiente e suas espécies por meio da produção orgânica e agroecológica, o que confere um diferencial competitivo na busca por qualidade e responsabilidade socioambiental.

Redução do êxodo rural

O êxodo rural caracteriza-se pelo deslocamento da população da zona rural em direção aos centros urbanos.

Embora tenha ocorrido com maior intensidade entre as décadas de 1980 e 1990, hoje tende a ser um fenômeno cada vez menos recorrente e significativo principalmente no Brasil, onde a agropecuária é uma atividade fundamental para a economia do país.

Isso se deve a melhora da qualidade de vida no campo bem como o desenvolvimento de novas soluções para pequenos, médios e grandes produtores.

Políticas públicas

Entre as possibilidades oferecidas pelo governo aos produtores rurais que atuam na agricultura familiar, estão os programas de crédito, seguros de produção, aquisição de terras, incentivo à comercialização e custeio de safras.

Alguns exemplos são o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e a Política Nacional de Assistência Técnica Rural (ATER), que formam agentes para prestar serviços e capacitar os agricultores.

>>> MATERIAL GRATUITO: E-BOOK GUIA COMPLETO PARA GESTÃO AGRÍCOLA <<<

Quais são os desafios da agricultura familiar no Brasil?

Apesar do seu crescimento e vantagens, a agricultura familiar ainda enfrenta alguns desafios. Confira!

Atração dos jovens para o campo

Mesmo crescendo e trabalhando no campo, muitos jovens ficam desestimulados a seguir com o negócio da família. Sendo assim, grande parte deles se muda para as grandes cidades em busca de novas oportunidades.

Por isso, é necessário investir em equipamentos mais confortáveis para os operadores e em novas tecnologias, a fim de reduzir o esforço físico e melhorar a qualidade de vida e do trabalho.

Distribuição desigual de terras

Dados do Censo Agropecuário de 2017 apontam que as pequenas propriedades, embora sejam 77% dos estabelecimentos agrícolas do país, ocupam apenas 23% da área destinada à agropecuária. O restante fica com o agronegócio.

Além disso, com a exploração dos conglomerados nacionais e internacionais, o valor dos terrenos sobe, dificultando a ampliação da propriedade do pequeno agricultor e consequentemente, sua atuação no mercado.

Qualificação dos agricultores com a tecnologia

Investir em tecnologia no campo ajuda a aumentar a produtividade e rentabilidade do negócio. Nesse sentido, é de extrema importância oferecer treinamento e capacitação para os colaboradores da empresa rural.

No entanto, com tantas novidades no mercado, os produtores rurais ainda encontram dificuldade em se adaptar às novas mudanças e se manterem atualizados sobre os lançamentos de ferramentas tecnológicas.

Tecnologias empregadas na agricultura familiar

A verdade é que o uso de tecnologias na rotina dos pequenos produtores é essencial para obter bons resultados na agricultura familiar.

De maneira geral, a implantação de recursos tecnológicos na agricultura familiar torna possível o aumento da eficiência na produção, o que leva, consequentemente, à elevação dos ganhos.

Nesse cenário, é importante que cada produtor consiga identificar quais são as melhores ferramentas para as atividades agrícolas desempenhadas na fazenda. Para isso, é necessário investir em conhecimento técnico e capacitação antes de tomar decisões.

Algumas opções de ferramentas utilizadas na agricultura familiar são:

Painéis solares: permitem levar energia a lugares distantes e podem diminuir consideravelmente os gastos com eletricidade.

Sistemas de irrigação: fazem com que o uso da água seja mais eficiente e controlado, garantindo que haja rega em momentos de seca e impedindo que a produção sofra com a escassez.

Softwares de gestão agrícola: possibilitam o gerenciamento completo da fazenda, desde as atividades financeiras até o controle de indicadores de produção da lavoura.

Ademais, existem outros usos importantes da tecnologia no campo, como controle de pragas, monitoramento do solo e muito mais. Logo, há grandes possibilidades tecnológicas para a agricultura familiar se tornar mais profissional e assim, atender as crescentes demandas do mercado.

Enfim, gostou desse conteúdo? Aproveite e leia nosso artigo sobre os desafios da sucessão familiar.

Até a próxima!


Publicado por:
Formada em Jornalismo, pós-graduada em Marketing e especialista em Comunicação Digital, atuo como Analista de Conteúdo no MyFarm. 
Share

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *