Agricultura irrigada: o que é e como colocar em prática

Share

Agricultura irrigada: o que é e como colocar em prática

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

No Brasil, a agricultura irrigada vem apresentando um crescimento significativo a cada ano. Só em 2020 houve um aumento de 18,96%, número que equivale a uma área incremental de 249.225 mil hectares.

Presente em todas as regiões do país, essa prática agrícola, pode ser encontrada especialmente onde há escassez de água, como é o caso da região do semiárido, ou onde ocorrem períodos prolongados de seca, como na região central.

Preparamos este artigo para explicar como a agricultura irrigada funciona e apresentar os principais métodos de irrigação presentes no mercado.

Acompanhe a seguir!

O que é agricultura irrigada?

A agricultura irrigada consiste basicamente em conjunto de ações, técnicas, estruturas e maquinário que possibilitam a irrigação em média ou larga escala de culturas e plantações.

Em síntese, ela fornece água às plantas de maneira não natural, ou seja, por meio da ação humana, garantindo a produtividade das lavouras mesmo em regiões onde há escassez de água.

ads

Sendo assim, ela é responsável pela expansão da agricultura e desenvolvimento dos setores agropecuário e econômico. Isso porque viabiliza a plantação em diversos tipos de terrenos bem como o cultivo de culturas em diferentes épocas do ano.

Quais são os benefícios da agricultura irrigada?

Ao adotar a técnica de irrigação no sistema produtivo, oprodutor rural consegue aumentar os lucros, visto que os riscos de falta de água são bem menores.

Mas não para por aí, veja quais são os demais benefícios oferecidos pela agricultura irrigada:

  • Aumento da produtividade;
  • Produtos com alta qualidade;
  • Produto na entressafra (mais de uma safra por ano);
  • Mais rentabilidade;
  • Redução de riscos de perda da produção em função das estiagens.

Além disso, a incorporação de novas áreas ao sistema produtivo também se constitui como benefício do uso da irrigação. Isso porque, o uso da técnica possibilita a implantação de lavouras em regiões mais secas, castigadas pela falta de chuva e baixa produtividade.

>>> DOWNLOAD GRATUITO: PLANILHA PARA GESTÃO DE INSUMOS AGRÍCOLAS <<<

Quais são os principais tipos de irrigação?

No Brasil, a irrigação é predominante nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Confira a seguir os principais métodos e sistemas utilizados pelos produtores rurais:

Irrigação por superfície

Método de irrigação por superfície - Agricultura irrigada
Fonte: Boas Práticas Agronômicas

Muito utilizada na cultura de cereais, esse método possui canais de irrigação onde a água circula por gravidade com a parte central mais elevada para as plantas. Assim, a água que desce pela parte superior de um canal mestre abastece todos os outros.

As principais vantagens dos sistemas por superfície:

  • Menor custo;
  • Equipamentos simples;
  • Baixo consumo de energia;
  • Não sofre efeito do vento;
  • Pode ser realizada com águas e com sólidos em suspensão;
  • Fácil adaptação para variados solos e culturas;

Em síntese, a irrigação por superfície pode ser aplicada de duas formas:

Sistema em nível: neste formato a área irrigada é plana, com menos de 0,1% de declive, com variações entre os modelos: tabuleiro, faixa em contorno e sulcos em contorno.

Sistema em declive: neste tipo de irrigação, a área onde o sistema é implantado encontra-se em declive (de 0,1% até 15%) e possui as seguintes variações: faixas em declive, canais em contorno, sulcos em declive, corrugação e sulcos em contorno.

Irrigação por aspersão

Método irrigação por aspersão - Agricultura irrigada
Fonte: Agropos

Considerado o principal método de irrigação, neste sistema a água é aspergida pelo ar imitando uma chuva bem fina. Assim, com a disposição de um ou mais jatos de água, as gotas pequenas de águas imitam o efeito de uma chuva artificial.

Além da facilidade, esse método pode ser adaptado a diferentes tipos de culturas e topografias. Em função da sua versatilidade, atualmente é um dos métodos mais utilizados no mundo.

Em geral, as principais vantagens dos sistemas de irrigação por aspersão são:

  • Facilidade de adaptação às diversas condições de solo e topografia;
  • Eficiência na distribuição de água, quando comparado com o método de superfície;
  • Método totalmente automatizado;
  • Pode ser transportado para outras áreas;
  • As tubulações podem ser desmontadas e removidas da área, facilitando o tráfego de máquinas;
  • Boa uniformidade na distribuição da água;
  • Menores perdas por evaporação e infiltração;
  • Projetos bem conduzidos diminuem o risco de erosão causado pelo excesso de água.

Irrigação por microaspersão

Na prática, a microaspersão consiste em um sistema de irrigação localizada que utiliza microaspersores autocompensados e filtros de disco ou tela. Com isso, a precipitação de chuvas fica mais suave e uniforme do que a aspersão.

Por favorecer a economia com a mão de obra e proporcionar mais facilidade na aplicação de fertilizantes, muitos produtores acabam optando pela utilização desse tipo de sistema.

Irrigação autopropelidos

O sistema de irrigação autopropelidos é composto por um aspersor de médio ou grande alcance, conhecido como canhão ou mini canhão hidráulico. Assim, o equipamento se desloca longitudinalmente ao longo da área que deve ser irrigada.

Em resumo, é um tipo de irrigação por aspersão movimentado por energia hidráulica gerada a partir da água bombeada. Sua aplicação é indicada para culturas que apresentam topografia plana ou inclinada.

Contudo, esse método consegue se adaptar com facilidade a diferentes culturas como pastagens, frutíferas e plantio de cana-de-açúcar. No entanto, é um sistema que demanda muita atenção e planejamento para que possa garantir uma distribuição uniforme da água.

Irrigação por gotejamento

Método irrigação por gotejamento - agricultura de irrigação
Fonte:Agropos

Como o próprio nome diz, nessa modalidade de irrigação, a água é transportada até a planta caindo gota a gota por cima do solo. O intuito é fornecer o insumo de forma gradual a fim de manter a umidade do solo mais próxima possível das necessidades reais da planta.

Logo, o resultado é a melhora no desenvolvimento das raízes, bem como de todas as plantas que recebem a mesma quantidade de água e fertilizantes.

Vale destacar que nesse sistema é possível preservar a superfície da planta sem molhar, enquanto o solo é umedecido na proporção correta. Assim, são reduzidas as perdas por evaporação.

Além disso, nesse método, o adubo pode ser fornecido junto com a água de irrigação (fertirrigação),favorecendo aumentos de produtividade.

Algumas vantagens do sistema de gotejamento são:

  • Baixo custo de mão de obra por ter sistema automatizado;
  • Baixo custo de energia, visto que utiliza bombas de baixa vazão que consomem até 50% menos energia que os outros sistemas;
  • Redução de perdas por evaporação, pois a água é aplicada diretamente na raiz;
  • Facilidade e eficiência na aplicação de fertilizantes e defensivos;
  • Permite aplicação em diferentes tipos de solo;
  • Manutenção do solo uniformemente úmido e com oxigênio;
  • Menor incidência de doenças fúngicas já que as folhas não são molhadas;
  • Declividade do terreno não limita a irrigação.

Como escolher o método de irrigação?

Para obter sucesso na agricultura irrigada é necessário escolher o método adequado para a propriedade considerando diversos fatores.

Assim, além de conhecer como cada sistema funciona, a escolha deve ser feita com base nos seguintes pontos:

Cultura: sistema radicular; os coeficientes da cultura em relação à evapotranspiração de referência.

Solo: características hídricas, como infiltração, curva característica de água, massa específica.

Local ou campo a ser usado: topografia do terreno, meios de comunicação, energia elétrica.

Clima: chuvas, evapotranspiração, ventos, temperatura e umidade relativa do ar.

Parte econômico-financeira: capacidade de pagamento de água, cultura mais viável.

Fator humano: tendências naturais, educação, instrução, etc.

Tendências e tecnologias na irrigação

Considerando o desenvolvimento da agricultura irrigada, temos recursos tecnológicos que facilitam as atividades agrícolas, como é o caso da irrigação de precisão.

Essa tecnologia consiste em um conjunto de práticas e ideias que visa a gestão sustentável da água nas propriedades.

No cenário agrícola, a aplicação da irrigação de precisão tem o intuito de saber quando, quanto, onde e como irrigar, considerando as variações possíveis e presentes no campo.

Isso significa que, mesmo dentro de uma mesma área a ser irrigada, todas as variações são analisadas a fim de obter melhor aproveitamento dos recursos, isto é, considerando, inclusive, a lâmina de água necessária em cada situação.

Em geral, esses sistemas permitem ao produtor uma melhor gestão dos seus recursos, evitando o máximo possível de desperdícios e melhor aproveitamento na cultura.

No entanto, as práticas de irrigação de precisão requerem um sistema automatizado. Isso porque, para garantir que os parâmetros sejam seguidos corretamente é necessário aliar tecnologia e análise de dados do terreno, o que ainda não é viável para muitos produtores.

Política Nacional de Irrigação

Por fim, é importante ressaltar que para realizar a implantação de um sistema de irrigação é preciso de uma concessão pública emitida pela Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA).

O Brasil tem uma legislação específica para irrigação. Trata-se daLei 12.787/2013, que instituiu a Política Nacional de Irrigação.

Além disso, foi instituído o Sistema Nacional de Informações sobre Irrigação, que tem como objetivo a coleta, processamento, armazenamento e recuperação de informações referentes à agricultura irrigada.

Em resumo, a Política Nacional de Irrigação tem como objetivos:

  • Incentivar a ampliação da área irrigada e o aumento da produtividade em bases ambientalmente sustentáveis;
  • Reduzir os riscos climáticos inerentes à atividade agropecuária, principalmente nas regiões sujeitas a baixa ou irregular distribuição de chuvas;
  • Promover o desenvolvimento local e regional, com prioridade para as regiões com baixos indicadores sociais e econômicos;
  • Aumentar a competitividade do agronegócio brasileiro e para a geração de emprego e renda;
  • Contribuir para o abastecimento do mercado interno de alimentos, de fibras e de energia renovável, bem como para a geração de excedentes agrícolas para exportação;
  • Capacitar recursos humanos e fomentar a geração e transferência de tecnologias relacionadas a irrigação;
  • Incentivar projetos privados de irrigação, conforme definição em regulamento.

Como vimos, a agricultura de irrigação utiliza técnicas de irrigação para garantir o desenvolvimento adequado das lavouras. Assim, ao escolher os métodos corretos para a propriedade é possível elevar a produtividade, reduzir perdas e aumentar a rentabilidade.

Enfim, agora que você entendeu como a agricultura irrigada funciona, aproveite e leia nosso artigo sobre produção de grãos.

Até a próxima!


Publicado por:
Formada em Jornalismo, pós-graduada em Marketing e especialista em Comunicação Digital, atuo como Analista de Conteúdo no MyFarm. 
Share

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *