calendário-agrícola

Share

Calendário agrícola: entenda porque é importante para o produtor rural

Quer saber mais sobre o MyFarm?

Entre em contato e agende uma demonstração com nossos consultores!

Solicitar Teste Grátis

O calendário agrícola é utilizado para orientar o produtor rural sobre as épocas ideais de realizar o plantio e a colheita nas propriedades rurais.

Na prática, ele funciona como um guia para controlar datas, considerando as diferentes regiões e condições climáticas do país.

Neste artigo vamos explicar como o calendário agrícola funciona e mostrar as melhores datas de plantio e colheitas dos principais produtos de cada região.

Acompanhe a seguir!

O que é calendário agrícola?

Como o próprio nome diz, o calendário agrícola é basicamente um calendário que indica as melhores épocas de semeadura e colheita de diversas culturas conforme a região do país.

No Brasil, o calendário agrícola consegue ser bem específico devido à pluralidade do clima e vegetação. Isso ajuda no planejamento de plantio do produtor rural e contribui para melhores resultados na lavoura.

ads

Assim, além de indicar os meses adequados para iniciar o plantio, ele fornece dados como:

  • Regime hídrico: precipitação anual, início e término da estação de chuvas;
  • Condições climáticas: variação de temperatura, velocidade do vento e umidade relativa do ar;
  • Zoneamento agrícola;
  • Análise do solo;
  • Ecologia da espécie a ser cultivada;
  • Disponibilidade dos cultivares recomendados em sua região.

Como funciona? Qual é o objetivo do calendário agrícola?

Em síntese, deve-se consultar o calendário agrícola ainda na fase de planejamento do plantio. Afinal, esse material auxiliará o produtor no processo de decisão em relação ao cultivo, uma vez que, fornece dados precisos sobre elementos essenciais para o sucesso da lavoura.

Assim, ao levar em consideração as informações sobre precipitação anual, ciclos chuvosos, velocidade do vento, variação de temperatura, umidade do ar, épocas corretas de plantio e colheita das principais culturas produzidas em cada região e zoneamento agrícola, o produtor se sentirá mais seguro e terá mais chances de gerar o aumento da produção.

Em resumo, o calendário agrícola funciona como uma ferramenta para prevenção de erros e prejuízos para o negócio rural. Dessa maneira, ele tem o objetivo de informar a melhor data do ano para plantar culturas específicas, com base em dados de variações climáticas, umidade do ar, características do solo e vegetação, entre outros.

>>> MATERIAL GRATUITO: E-BOOK GUIA COMPLETO PARA GESTÃO AGRÍCOLA <<<

Qual é a melhor época para o cultivo agrícola?

Em primeiro lugar, é importante ressaltar que o calendário agrícola brasileiro não é unificado. Isso se deve às diferentes características presentes em cada região do país.

Confira a seguir as melhores datas de plantio e colheitas dos principais produtos de cada região!

Calendário agrícola - Região Sul
calendário agrícola - Região Sudeste
Calendário agrícola - Região Nordeste
Calendário agrícola - Região Norte
Período de plantio e colheita recomendado para a Região Centro-Oeste

Qual é a relação do ano agrícola com o calendário agrícola?

Na prática, o ano agrícola brasileiro inicia-se em setembro, isto é, no fim do inverno e começo da primavera. Contudo, esse período engloba o início do cultivo até a colheita e comercialização da atividade de maior renda bruta.

Logo, para produtores de culturas diversas, o ano agrícola encontra-se associado a sua cultura principal, ou seja, a que tem maior representatividade econômica, visto que, os que produzem culturas perenes devem estabelecer o seu início logo após a colheita.

Sendo assim, vale ressaltar que, durante o ano agrícola, é extremamente importante que os agricultores sigam o calendário agrícola de sua região. Afinal, como já mencionamos, este documento contém informações sobre a época de semeadura e colheita de diversas culturas ao longo do ano.

Dessa forma, a partir dos dados do calendário agrícola é possível identificar as culturas que podem ser produzidas na região, a época de plantio e de colheita de cada cultura e se será necessário a utilização de irrigação.

Plano Safra

Assim que o ano agrícola começa, os produtores costumam tomar decisões de plantio e de investimento, considerando as expectativas de mercado e as medidas de apoio anunciadas pelo Plano Safra.

No dia 22 de junho de 2021 o Governo Federal lançou o Plano Safra 2021/2022 com R$ 251,22 bilhões para apoiar o agronegócio nacional. Esse financiamento tem o prazo para contrato de 1 de julho de 2021 a 30 de julho de 2022.

Em apoio ao pequeno produtor, o financiamento pelo Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Família (Pronaf) destina R$ 39,34 bilhões, com juros de 3% e 4,5%.

Já o financiamento do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) destina R$ 34 bilhões, com juros de até 6,5 ao ano.

Onde encontrar informações mais detalhadas sobre o calendário agrícola?

No Brasil, o calendário agrícola é regido pelas recomendações do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) por meio de publicações da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Sendo que, as informações fornecidas pela Conab baseiam-se em dados meteorológicos/climáticos, técnicos e científicos de diversas instituições oficiais.

Confira a seguir as principais fontes oficiais de dados para o planejamento do agronegócio no Brasil:

Informações meteorológicas

Zoneamento agrícola

Sistema de Monitoramento Agrometeorológico – Agritempo /Embrapa (para encontrar seu Estado, procure pelos termos “zoneamento agritempo [seu estado]” no Google)

Informações de secretarias de agricultura regionais

Disponibilidade de sementes e cultivares

Por fim, além dessas informações, a própria Conab disponibiliza o calendário pronto para as principais espécies agrícolas cultivadas no país, por região, anualmente. Além disso, instituições regionais costumam publicar as recomendações para espécies locais, como é o caso da Embrapa Amazônia Oriental.

Enfim, agora que você já sabe como funciona o calendário agrícola, aproveite e leia nosso artigo sobre gerenciamento rural.


Publicado por:
Formada em Jornalismo, pós-graduada em Marketing e especialista em Comunicação Digital, atuo como Analista de Conteúdo no MyFarm. 
Share

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *